domingo, 28 de outubro de 2012

.grito.




É calor no pantanal, os comportamentos seguem linhas brancas que explodem no peito, anestesiam palavras e dilatam medos.
Um tiro corta a madrugada, cala a solidão.
Em cada casa, falsos prazeres são consumidos por jovens verdadeiros.
Jovens tão reais que escolhem um pouco de mentira para buscar outras vias.
Lagrimas são substituídas por pingos de suor.
A liberdade cozinha e borbulha desconfiança, azar.
Não é busca, é falta.





E o spoiler  já é visto nos dentes. Um dia, a juventude acaba.

Um comentário: