segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

.paralelos.

Você insiste em me perseguir. Minha ansiedade almenta junto com os números no relógio digital. Nunca, nunca vou te perdoar. Nunca vou te perdoar por fazer minhas noites serem regadas a lágrimas. Nunca vou te perdoar por tudo que disse. Nunca vou te perdoar por roubar minha sanidade. Nunca vou te perdoar por me fazer infeliz.
Você é tão lindo. Me faz pensar em terra. Consegue libertar meu espírito. Afasta os fantasmas. Me deixa livre. Não existe ressentimento. Existe verdade. Socos no peito. Brincadeiras de adultos. Risada. Cachoeira. Cartão e espelho. Ainda não te amo, mas quero casar com você.

Um comentário:

Alessandro disse...

calouro? n sei...jornalismo ucdb e tu?